Obs.: você está visualizando a versão para impressão desta página.
Voltar ao topoVer em Libras

Mercadoria não pode ser apreendida como meio coercitivo para cobrar ICMS

  1. Início
  2. Notícias
  3. Geral
  4. Mercadoria não pode ser apreendida como meio coercitivo para cobrar ICMS
« Mais recente🔀🛈Categoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:apreensão, mercadorias, tributos, pagamento, mercadoria, empresa e sentença199 palavras2 min. para ler

É inadmissível a apreensão de mercadorias como meio coercitivo para pagamento de tributos. Esse foi o entendimento aplicado pela 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) ao manter a sentença que determinou a liberação de mercadorias apreendidas indevidamente.Na ação, a empresa de comercialização de equipamentos para instalações comerciais alegou que teve sua mercadoria apreendida em um posto fiscal da Secretaria da Fazenda de Alagoas. Segundo a empresa, o motivo da retenção foi porque a mercadoria estava com documentação inidônea. Inconformada, a empresa buscou o Judiciário, afirmando que apreensão era ilegal, uma vez que é inadmissível a apreensão de mercadorias como meio coercitivo para pagamento de tributos.
Ao confirmar liminar que determinou a liberação da mercadoria, a sentença afirmou que é unânime na jurisprudência o entendimento que não pode haver a apreensão de mercadorias para pagamento de tributos. "A Fazenda Pública deve cobrar os seus créditos através de execução fiscal, sem impedir direta ou indiretamente a atividade profissional do contribuinte", diz a sentença. No reexame necessário, a 3ª Turma Cível do TJ/AL confirmou a ilegalidade da apreensão, diante da inadmissibilidade de apreensão de mercadorias como meio coercitivo para pagamento de tributos.
0700191-47.2018.8.02.0032
Fonte: Conjur

Este site usa cookies para melhorar a navegação.
Termos legais e privacidade